Fonte: EOS Writer

Atualmente, com o mundo enfrentando um cenário político instável e os gigantes das redes sociais censurando certas narrativas, fica cada dia mais claro que merecemos novas plataformas de mídia social que não procuram censurar a voz do povo em favor de sua própria. Ver as pessoas responderem com críticas ao YouTube, Facebook, Twitter e até censurar o conteúdo da Amazon sobre tópicos que nos afetam de perto é um clamor por novas mudanças.

Mais de dois terços dos votos na enquete acima são a favor de plataformas de mídia social que não tenham nenhum apelo politico. O que é um bom sinal para a nova plataforma social Voice por causa de seus atributos que incluem: devolver às pessoas o controle sobre seus próprios dados e dar forças a falarem sem medo de serem censuradas. Esse é o completo oposto de como o cenário das mídias sociais é hoje; os gigantes das mídias sociais decidem quais vozes precisam ser ouvidas e quais devem ser deixadas de lado da opinião pública.

O CEO da Voice, Salah Zalatimo, escreveu recentemente um pequeno post no Voice discutindo como a moderação de conteúdo no Snapchat, Twitter e Facebook está falhando, embora reconheça que moderar diversas formas de conteúdo completamente ilegal nem sempre é uma tarefa fácil. Diante do desafio de moderar o conteúdo “fora do limite”, ele levanta a questão “quem deve fazer esse julgamento?”

Aqui está uma ideia maluca, por que não deixar as pessoas decidirem? Capacite-os. Projete a plataforma para erradicar os bots verificando as identidades, elimine a propaganda direcionada protegendo seus dados pessoais e evite a corrupção política organizando comunidades que possuem as ferramentas para se autogovernar efetivamente.

– Salah Zalatimo (CEO do Voice)

Talvez como resposta a todos os aspectos negativos que estão ocorrendo no mundo e à demanda por uma alternativa melhor, Salah afirma que “é tarde demais para o Facebook & Co. fazer essas mudanças – mesmo que quisessem”. Uma afirmação verdadeira ao considerar que todas as plataformas de gigantes das mídias sociais são fundamentalmente defeituosas, porque cada uma foi projetada para explorar os usuários em busca de atenção e ganho financeiro. “Nossa única alternativa é construir uma nova mídia social que coloque seus membros acima de tudo”, continuou ele, antes de fazer o anúncio que as pessoas estavam esperando para ouvir desde que o Voice foi anunciado pela primeira vez em junho do ano passado.

“Em 4 de julho, liberaremos o Voice no mundo. Nossa jornada vai começar.”

A plataforma social do Voice está ativa nos EUA e opera como um aplicativo beta limitado desde 14 de fevereiro de 2020. No próximo mês, as pessoas finalmente terão a chance de testar a plataforma e fazer com que suas vozes sejam ouvidas de uma maneira nunca antes vista.

O dia 4 de julho também marca o Dia da Independência nos Estados Unidos, que combina bem com o que o Voice está tentando realizar para a população global. O lançamento mundial do Voice em 4 de julho provavelmente será uma extensão global do aplicativo beta. Como foi informado há dois meses atrás, o Voice deve ficar em beta por um ano, com a versão completa do aplicativo a ser lançada oficialmente no primeiro trimestre de 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui